4 dicas para se tornar um grande orador

Saiba como adquirir o dom de persuasão utilizando apenas a própria voz

Redação, Administradores.com,
Thinkstock

As vezes, mais difícil que montar uma apresentação, é falar. Poucas coisas são tão recompensadoras quanto sentir que os seus ouvintes estão na palma da sua mão e poucas são tão aterradores quanto perceber que elas não ligam para o que você está dizendo.

Sims Wyeth, colunista da Inc., escreveu um artigo sobre assunto. Com anos de experiência de oratória, Sims conta um pouco do que aprendeu e citou 4 características que pessoas com o dom da persuasão usando simplesmente a voz, possuem.

1 - Responder a mais difícil questão: "porque?"

"Quando eu comecei no ramo da oratória, fui ensinado que eu necessitava de algo que chamasse a atenção das pessoas logo no começo, uma frase que faria as pessoas esquecerem o que está na cabeça delas e se interessem pelo que está na sua", diz Sims. "Porém, eu notei que os grandes oradores não estavam preocupados com isso. Eles se preocupavam bem mais em respender a difícil questão: porque é tão importante que vocês escutem o que eu tenho a dizer?", explica.

Pode ser uma história, uma piada ou uma notícia, mas truques nem sempre funcionam, e pior, podem diminuir a sua credibilidade. Saber responder o "porquê" é melhor e mais importante.

2 - Achar a paixão

Se um orador possui paixão, a audiência vai ignorar várias falhas durante o discurso, pequenos erros. Mas sem paixão, mesmo que as palavras estejam claras e fluentes, o discurso não atingirá o cérebro - nem o coração - das pessoas.

"Paixão é contagiosa. Mas não tem como ser forçada. Se um orador genuinamente se importa com o que está falando, os ouvintes sabem. Eles sentem", comenta Sims.

3 - Discursar como se estivesse conversando

"Conversas trazem novas possibilidades para o discurso, através de associação. Se você conta a uma história sobre seu cachorro, as pessoas vão pensar no seu próprio animal de estimação. Conversas vão e vem, numa via de mão dupla. Porém, nós não fazemos isso. Nós fazemos listas, mostramos tópicos e vamos seguindo a sequência", diz Sims, "e tópicos não seguem um fluxo institivo de um para o outro".

Então, caso você precise usar uma lista, precisa ser mais cuidadoso em como você vai de um para o outro. Em outras palavras, você precisa estar ciente de onde pode perder seus ouvintes. "Faça conexão entre as ideias principais. Mostre essas ideias com um sentido lógico ou associativo, levando os ouvintes cuidadosamente de um pensamento para outro", aconselha Sims.

4 - Fazer os outros acreditarem no que está sendo dito

"Discursar não é sobre mentir, ou fingir, na verdade, é demonstrar um senso de verdade no que está sendo dito. Atores, por exemplo, não são julgados pelo que dizem ou como dizem, mas por como eles fazem o público se sentir, como eles conseguem criar a imagem da verdade no que estão fazendo. Eles são julgados pelo quão convicente eles são. Assim como oradores. E a melhor forma de fazer isso é trazer suas próprias experiências, dando ao discurso um senso de verdade", completa Sims.




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração