Quando pedir feedback após uma entrevista profissional?

Especialista orienta que o candidato tente se informar junto ao recrutador, ainda durante o processo de seleção, se haverá mais etapas e se há algum prazo para a resposta final

Redação, Administradores.com,
iStock

Esperar a resposta de uma entrevista de emprego pode ser um teste de paciência até mesmo para as pessoas menos ansiosas. Entretanto, telefonar inúmeras vezes para o recrutador em busca de um feedback tampouco é uma boa ideia, afinal, os processos de seleção geralmente contam com várias etapas, podendo levar meses para serem concluídos, e entrar em contato frequentemente com a empresa pode transmitir uma mensagem de nervosismo.

Por isso, Silvana Barros, consultora da Randstad Professionals, consultoria internacional de Recursos Humanos, destaca algumas dicas que podem ajudar aos profissionais que estão passando por essa situação e têm dúvidas de como proceder. “Primeiramente, quando estamos participando de processos seletivos, devemos checar diariamente a caixa de entrada de e-mails e estarmos atentos às chamadas telefônicas”, afirma.

Como explica Silvana, não existe um prazo definido para que a empresa dê o retorno ao candidato, pois esse tempo irá variar de acordo com as características de cada processo seletivo e com a necessidade que a empresa tem para a definição da posição. “Vale destacar que no atual momento econômico do País os processos seletivos têm se tornado mais longos devido a uma série de aprovações e validações que se tornam internamente necessárias para justificar o aumento da contratação de pessoal. Além disso, nesses casos o que ocorre também é o aumento no número de etapas do recrutamento. Ou seja, mais pessoas entrevistam os candidatos e testes e avaliações são utilizados para garantir a tomada de decisão”, complementa.

Para que o candidato consiga lidar melhor com a ansiedade relacionada à espera pelo feedback, uma sugestão da consultora é que, ao final da entrevista, caso o recrutador não faça nenhum comentário sobre as próximas etapas, o profissional pergunte quando imagina que conseguirá obter uma resposta acerca do preenchimento da vaga. “Assim fica mais fácil administrar a ansiedade, tendo em mente uma data como prazo”, continua Silvana.

Caso não tenha recebido nenhum retorno até a data acordada, segundo Silvana, o candidato pode mandar uma mensagem para saber como anda o processo seletivo. “De qualquer maneira, a orientação é aguardar ao menos quinze dias para entrar em contato com o recrutador”, enfatiza a consultora.

A linha que divide, de um lado, a percepção de interesse pela conclusão da vaga e, do outro, o excesso de ansiedade do candidato é muito tênue. Com relação a essa questão, Silvana ressalta que o entrevistado tem o direito de receber uma resposta para saber se foi ou não aprovado, mesmo que esta seja negativa. “O bom senso, neste caso, é fundamental. Por exemplo, pedir feedback demonstra interesse na oportunidade, mas insistir, enviando vários e-mails e ligando diversas vezes para o recrutador, provavelmente irá causar uma impressão ruim de alguém que é muito ansioso e que não sabe esperar”, explica.

Receber o feedback é sempre um momento de muita tensão, mas Silvana destaca que a melhor postura é sempre ouvir o que o recrutador está dizendo e a mensagem que quer transmitir, apesar do nervosismo e até mesmo de decepção, caso o retorno seja negativo. “A melhor coisa a se fazer é agradecer pela oportunidade e deixar as ‘portas abertas’ para futuras oportunidades”, finaliza a consultora.