Mais comentada

Conheça o empreendedor que está fazendo próteses acessíveis com uma impressora 3D

Feito sob medida para um garoto sem braço, o primeiro modelo da prótese impressa em 3d do engenheiro mecatrônico Thiago Jucá viralizou em vídeo das redes sociais

Redação, Administradores,
Reprodução/ Facebook

Nas últimas semana, usuários nas redes sociais se encantaram com um vídeo de um garoto sendo surpreendido por um presente inusitado: uma prótese de braço inspirada na armadura do personagem Homem de Ferro.

O presente foi dado ao garoto, chamado Pepi, pelo engenheiro mecatrônico Thiago Jucá, fundador da startup Protesis, que produziu a prótese com uma impressora 3d. Thiago conta que ele mesmo construiu a impressora, e o presente de Pepi foi a primeira prótese que fez sob medida para alguém.

O engenheiro, que é fundador também da desenvolvedora de produtos Treko 3D, explica que quis fazer próteses em 3D desde que soube que era possível. Em um evento de empreendedorismo, Thiago contou sobre sua ideia de fazer uma prótese com impressora 3D e perguntou se alguém não estaria interessado. E foi assim que conheceu um primo de Pepi. "Eu conheci o Rafael, que também não tem braço, mas tem uma prótese muito boa, que me disse que tinha um primo que não tinha uma prótese. É que para criança é mais difícil conseguir, porque criança cresce rápido e logo a prótese fica pequena. Elas são caras e é difícil conseguir pelo SUS", afirma Thiago.

Sem conhecer Pepi, Thiago fez a prótese do garoto através de um sistema de captura por foto usando visão computacional. Só na hora pôde ver se o produto final daria certo. Quando viu a empolgação do garoto, ficou satisfeito. "Isso é muito bom, ver uma criança feliz. Mas não só crianças, eu quero ver pessoas felizes", conta o engenheiro.

Por enquanto, a Protesis funciona em uma pequena sala de incubadora, mas a ideia é continuar produzindo próteses impressas em 3d, a preço mais baixo que o do mercado (R$ 300, contra R$ 1.500 dos produtos atuais de menor custo) e criar uma rede colaborativa para levar o produto a quem precisa. Na última terça-feira, o objetivo se tornou ainda mais alcançável: a startup venceu o Concurso Acelera Startup da Fiesp, na categoria pré-operacional.

 




Fique informado

Receba gratuitamente notícias sobre Administração