Mais comentada

O que é um investidor-anjo?

Esse investidor, além de alocar um capital para investir em novas empresas, aplica sua experiência apoiando a startup

Fábio Bandeira de Mello, Administradores.com,
iStock
"O investidor-anjo, no entanto, diferente do que alguns podem pensar à primeira vista, está longe de funcionar como uma atividade filantrópica"

Quando o assunto é empreendedorismo ou startup, uma forma de obter recursos para esse novo negócio - e que é bastante difundida - está em conseguir um investidor-anjo. Mas você sabe quem seria esse investidor?

“Geralmente são empresários ou executivos que fizeram uma carreira corporativa. Agora, está surgindo muitos profissionais liberais. Eles têm algum capital para fazer um investimento de risco e todo um conhecimento agregado de networking e de relacionamento”, destaca Maria Rita Spina, sócia fundadora do Anjos do Brasil, principal rede de investidores desse perfil no país.

Esse investidor, além de alocar um capital para investir em novas empresas, aplica sua experiência apoiando a startup. O termo "anjo", inclusive, é utilizado por esse fator: a ajuda não ser exclusivamente financeira, tendo a possibilidade de o investidor transmitir seus conhecimentos, experiência e rede de relacionamento para orientar a startup e aumentar suas chances de sucesso.

O investidor-anjo, no entanto, diferente do que alguns podem pensar à primeira vista, está longe de funcionar como uma atividade filantrópica. Ele tem como objetivo aplicar em negócios com alto potencial de retorno. Com isso, ao concederem apoio a uma startup, possuem normalmente uma participação minoritária no negócio, mas não têm posição executiva na empresa, apenas atuam como um mentor/conselheiro.

Segundo Maria Rita, estamos em um momento muito oportuno e interessante, onde o empreendedor mudou bastante. “As pesquisas mostram que se há 10 anos o empreendedor empreendia por necessidade, hoje, existem uma geração de pessoas que empreendem por oportunidade. Eles vêm um problema real, encontram uma ação relevante e querem empreender. E nesse cenário, o investimento-anjo tem um papel muito especial”, indica. Segundo estudo realizado pelo Start Up Genome Compass, empresas que contam com mentores crescem 3,5 vezes mais e conseguem sete vezes mais capital.

Dicas

Para que um empreendedor consiga realizar um investidor com esse perfil, a especialista Maria Rita dá as seguintes dicas:

1) Prepare um modelo de negócios: Não precisa ser extenso, mas é necessário ele descreva qual é o produto, para que mercado é voltado, como o investidor terá um retorno financeiro com isso e, principalmente, a necessidade real que o produto/serviço atende.

2) Transmita sua ideia de forma sintética: ao encontrar um investidor, é necessário falar sobre a ideia de 2 a até 5 minutos. É preciso ter essa capacidade de síntese e, ao mesmo tempo de falar bem sobre o projeto.

3) Participe de eventos: é preciso que o pequeno empreendedor participe de eventos de negócios, aprenda e desenvolva seu networking. Essa atitude o ajudará a saber como ter efetividade em seu negócio.