Benefício aumenta produtividade, diz pesquisa

Empresários usam serviços como arma para atrair profissionais. Produtividade nas empresas subiu 30% com a adoção de convênios e bônus.

G1,
Convênio médico, vale-alimentação, creche... Se você somar todos esses custos, talvez dê quase o valor do seu salário.

São os chamados benefícios, serviços que as empresas oferecem a mais, além do salário, e muitas vezes de graça, aos trabalhadores.

Pesquisa recente feita entre 201 pequenas, médias e grandes empresas de todo o país revelou que 99% delas oferecem algum tipo de assistência médica, 54% dão assistência odontológica, metade delas tem restaurante, seguro de vida é adotado por 90% das empresas e 43% já têm até algum tipo de Previdência privada. Esse estudo também revela que a produtividade nas empresas pesquisadas aumentou 30% com a adoção de benefícios e ganhos salariais.

A quantidade e a variedade de benefícios oferecidos pelas empresas aumentaram muito nos últimos anos. Além de dar melhor qualidade de vida aos trabalhadores, que respondem com maior produtividade, os empresários usam esses benefícios como estratégia para atrair os melhores profissionais. “Para a empresa, é muito importante ser competitiva. As pessoas felizes trabalham melhor”, disse Anita Viviane, gerente de recursos humanos.

Trabalho motivado

A maior indústria petroquímica do Rio Grande do Sul, por exemplo, é conhecida no mercado pelos benefícios que oferece. A empresa montou um programa de qualidade de vida. Os trabalhadores têm direito a freqüentar a academia de ginástica duas vezes por semana no horário de expediente.

Os funcionários ainda podem dar uma paradinha na sala de relaxamento. E no centro médico tem até fisioterapia. “Faço minha fisioterapia e volto pra trabalhar, sem perda de tempo, tempo otimizado”, disse um funcionário.

Além disso, a política de valorização da empresa inclui uma média de 18 salários por ano. Com essas medidas, o ânimo para trabalhar é maior. “As pessoas vêm trabalhar mais satisfeitas, mais motivadas, eles produzem melhor”, afirmou Carla Rangel, assessora de gestão.

Direito X benefício

Muita gente desconhece os benefícios a que tem direito. O primeiro passo é saber a diferença entre direito trabalhista e benefício. Direito é aquele que está previsto em lei. Exemplo: salário, férias, vale-transporte. Benefício é o que é dado a mais, está no acordo ou convenção coletiva. Exemplo: plano de saúde, assistência odontológica. E mais: há outros tipos de benefícios que você pode adquirir pagando um custo mínimo. São os convênios firmados com papelarias, farmácias e clínicas de estética entre outros.

“Alguns anos atrás ninguém numa entrevista de seleção perguntava se a empresa tinha um plano de previdência, hoje já perguntam. As pessoas comparam muito”, disse Anita Viviane, gerente de recursos humanos.

Também para os trabalhadores os benefícios passaram a ser tão importantes quanto o próprio salário. Foram os benefícios e as perspectivas de crescimento na carreira que fizeram Ramiro Espósito, publicitário, trocar o emprego de quase 4 anos por um estágio, onde ele trabalha seis horas por dia e ainda faz cursos por conta da empresa. Mas o salário é menor. Agora ele ganha pouco mais da metade do que ganhava antes. “Mesmo assim vale a pena. Eu não pensei de forma imediata, fiz um planejamento a longo prazo e vi que as possibilidades de crescimento tanto profissional quanto pessoal eram muito maiores. Acho que a gente precisa arriscar para crescer”, admitiu.

Benefícios previstos em acordos ou convenções coletivas, aquelas negociações entre empresas e sindicatos, são obrigatórios. Os empresários têm de conceder aos trabalhadores. Os demais benefícios são facultativos. Se você tem dúvidas procure o departamento de recursos humanos da sua empresa. Outra dica é consultar o sindicato que representa a sua categoria. É muito importante se manter informado.