Mais comentada

Como as micro e pequenas empresas podem investir na inovação?

A importância de sempre se manter em constante renovação de seus modelos de gerenciamento e de produção

Davi Izidoro Marim, Administradores.com,
iStock

Embora o Brasil tenha passado por um período de grande instabilidade econômica, podemos já observar uma gradual recuperação neste cenário. E, se até então, a principal preocupação das empresas era a de se manter ativa em meio às incertezas do passado, agora a situação passa a se reverter e o mundo corporativo, incluindo a esfera das micro e pequenas empresas, tem como prioridade estar compatível aos padrões da concorrência. 

Para que isso aconteça, já não podemos mais apostar apenas nos modelos tradicionais de organização, gestão e de posicionamento mercadológico. É preciso seguir as trilhas da disrupção! 

A inovação como parte da cultura

Um estudo feito pela Dell Technologies revelou que, dos 4 mil líderes empresariais entrevistados, 45% diz temer que a própria empresa se torne obsoleta em uma margem de 3 a 5 anos. Medo este que é justificável, dado o número crescente de empresas que precocemente fecham as portas por não mais conseguirem se sustentar dentro de seus parâmetros de trabalho. 

Logo, a solução habita exatamente em como implementamos uma cultura capaz de se renovar, uma cultura de inovação. Empresas que buscam reinventar suas formas de trabalho, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte, precisam compreender a disrupção como uma característica que integre o seu caráter empresarial; somente assim as medidas de mudança podem ser efetivas e trazer resultados sólidos e de confiança. 

Perspectivas positivas

Um grande ponto que as empresas de pequeno porte têm ao seu favor é a flexibilidade de seus padrões de trabalho. Para grandes corporações que queiram mudar sua cultura completamente, uma série de procedimentos onerosos são necessários, tais como adaptações burocráticas, tributárias e legislativas. 

Com as micro e pequenas empresas, essa preocupação é menos ampla, justamente pelas estruturas mais enxutas. Equipes menores e maior proximidade com os clientes, por exemplo, significam menos gastos e mais agilidade. 

A inovação na prática

Vejamos então alguns dos principais passos que podem auxiliar as micro e pequenas empresas a triunfar dentro de seu nicho de mercado através de simples, porém efetivos, movimentos em direção a disrupção 

· Investindo na interação: trazer consumidores não só para o momento de compra e venda, mas sim, para uma dinâmica que incite diálogos, troca de opiniões e experiências é sempre uma ótima forma de conquistar um público fiel e engajado nas ações de uma empresa. Além disso, entender os anseios dos consumidores é fundamental para buscar desenvolver ou melhorar produtos e serviços; 

· Experiências em todas as etapas: atualmente, a empresa que ganha vantagem perante a concorrência é aquela que se mantém presente na memória de seus clientes; para isso, promoção de eventos, prêmios e sorteios, por exemplo, auxiliam consideravelmente na retenção de um grupo de consumidores que leve a sua marca não só como uma fornecedora de determinado produto, mas como uma figura que integra suas rotinas de forma positiva. Além disso, é possível investir, do ponto de vista da inovação, tanto na presença nos ambientes digitais, por exemplo, quanto em ferramentas mais acessíveis de CRM, para que as micro e pequenas empresas busquem uma compreensão mais ampla de seus consumidores; 

· Parcerias para o crescimento mútuo: pequenos negócios tem a grande vantagem de poder evoluir de forma colaborativa ao unir forças com outros nomes do segmento (pense, por exemplo em pequenos negócios ou startups que recebem aporte de grandes empresas em prol do desenvolvimento, em mão dupla, de inovação; isso, além de fortalecer o nome de ambas empresas envolvidas através de campanhas de promoção de seus produtos e serviços, também impulsiona a cultura e economia local;

· Otimize constantemente seus produtos: muitas vezes, uma loja especializada em dado material nem sempre possui a opção de oferecer algo totalmente novo ao mercado; mas isso não quer dizer que ela precise se restringir ao que tem feito até então – pequenas melhorias funcionais são ótimas para ir além do padrão de qualidade previamente estabelecido por uma companhia; 

· Não abra mão da tecnologia: quando pensamos em softwares e sistemas de gestão operacional, é comum que a primeira coisa que nos venha em mente sejam empresas multinacionais com uma infinidade de processos a serem gerenciados. Mas, na realidade, a implementação destas ferramentas é benéfica a empresas de todos os portes justamente pela otimização de tempo e redução de custos que ela traz. Por isso, um investimento em tais ferramentas significa um investimento em toda a qualidade de produção que a sua empresa apresenta;

· Crie um conteúdo relevante associado à sua marca: Por fim, mesmo a divulgação de sua empresa pode contar com imput da inovação. Estratégias de Inbound Marketing, por exemplo, contam com a base dos meios digitais e criação de conteúdo de qualidade associada a uma marca, sem que para isso, seja preciso dispender recursos que, em muitos casos, fogem da realidade das pequenas empresas. 

Por fim, acredito que, com a aplicação não só das recomendações acima, mas também, de uma cultura interna que motive toda a equipe a sempre buscar se reinventar até mesmo nas menores particularidades de seu trabalho, as pequenas empresas têm tudo para tornarem-se um destaque de valor no mercado em que atuam. Deste modo, servirão de inspiração para novos empreendedores, fomentando o ciclo da inovação e da livre-iniciativa no país!

Davi Izidoro MarimAdministrador de finanças, sócio e diretor executivo da ITO1.