Mais comentada

O que é a transformação digital e como iniciar em minha loja on-line?

Emprega-se muito trabalho, atinge todas as áreas da organização, mas é um caminho necessário e sem volta

Carlos Eduardo Silva Tabosa, Administradores.com,
iStock

Muito se fala de transformação digital em todo o mundo, mas ainda há dúvidas relacionadas aos seus efeitos práticos e aplicabilidade no mercado em geral. No mundo de lojas virtuais não é diferente. A principal questão existente é: como realizar a transformação digital em um produto que já é “digital”? 

Daqui em diante, na sua leitura, tenha em mente que a transformação digital é estratégica e deveria estar presente em todos os planos estratégicos das empresas. Seus conceitos e aplicabilidades são tão importantes quanto saber onde fará os investimentos, por exemplo. 

Voltando à nossa questão-chave, essa resposta é o motivo para iniciar a transformação digital em e-commerces de qualquer segmento, pois o prisma de ser virtual, vender pela internet, operacionalizar um negócio via web ou até mesmo mobile não é ser digital, pois para ser, precisa ser ágil, ser inovador, atender bem seu cliente, elevar seus indicadores, otimizar processos internos, consequentemente, se destacando frente aos seus concorrentes. 

Para atingir essas características positivas, vejo a transformação digital sendo composta por três pilares de evolução: cultural, processual e tecnológica.

A evolução cultural é o mais difícil e o principal dos pilares. Nessa tratativa, os impactados são os colaboradores, funcionários e até prestadores serviços. Ou seja, lida basicamente com pessoas que são a base de qualquer organização. Aqui, você repensará a cultura da sua organização com o objetivo de melhorar o trabalho das pessoas para que reflita em seu resultado corporativo. A frase que norteará suas ações neste pilar é: “pessoas empoderadas e felizes geram resultado”. 

As pessoas precisam estar engajadas para a melhoria e transformação na empresa na qual trabalham, pois elas serão diretamente impactadas pela transformação. Aliás, quem faz a transformação são elas. 

A evolução processual é o pilar base que sustenta os outros dois pilares. É por ela que o gestor engaja seu time (cultural) e seu produto (tecnológico) a evoluir continuamente. Processos não significam burocracia. Processos bem elaborados e adequados à sua empresa e negócio são fundamentais para a transformação digital. Neste pilar de evolução encaixo os métodos ágeis difundidos no mercado e escalados em todas as áreas da empresa. A frase que norteará suas ações neste pilar é: “o mínimo de processos necessários para que as pessoas façam o melhor trabalho possível a fim de atingir os objetivos”. 

A evolução tecnológica para um e-commerce é o pilar de saída (resultado) dos outros dois pilares. Compreender e aplicar a melhor solução tecnológica significa vender mais. Relembrando: não estou tratando a respeito de plataforma do e-commerce, ou sobre a linguagem de programação. Estamos tratando de estratégia. A tecnologia lhe trará inovação. Puxará a sua empresa para se diferenciar em um mercado tão competitivo quando o de lojas on-line. A frase que norteará suas ações neste pilar é: “evoluir em tecnologia é sobreviver, devo testar tendências”. 

Toda a aplicabilidade para os pilares descritos acima deve ser refletida em seu produto. Pense sempre em seu produto e não em seus projetos, pois a evolução do produto é contínua. Isso altera significativamente o modelo de sua organização e como todos executarão suas tarefas. Isso fará com que o engajamento das pessoas cresça.

Enfim, terá como resultado uma melhoria contínua em sua eficiência e eficácia.

Atingir a transformação digital não é fácil. Emprega-se muito trabalho, atinge todas as áreas da organização, mas é um caminho necessário e sem volta. Coloque a transformação digital em seus valores corporativos, ou trabalhe para isso. Tenha ao seu lado pessoas que são aderentes a estes valores e conceitos e inicie já a sua transformação digital. 

Carlos Eduardo Silva Tabosa — Especialista em Sistemas de Informação pela UMC, tem MBA pela FGV-SP e é Gerente de Negócios da OPAH IT Consulting, consultoria de TI especializada em inovação e desenvolvimento de soluções customizadas para as mais variadas áreas de mercado e necessidades apresentadas pelas companhias.