Mais comentada

Quase 70% do jovens brasileiros desejam empreender, aponta estudo

Pesquisa realizada pela Fundação Estudar aponta que somente 8,8% deles realizam o sonho de ter o próprio negócio

Redação, Administradores.com,

A maior parte dos jovens brasileiros deseja empreender. É o que revela um levantamento realizado pela Fundação Estudar com brasileiros entre 18 a 34 anos, que apontou que 69,8% dos entrevistados querem abrir um negócio próprio, mas apenas 8,8% deles são empreendedores de fato.

Entre os principais culpados pela falta de investimentos está a crise que atingiu o sistema econômico do país entre 2014 e 2017. Ao todo, 13,9% disseram que desistiram de empreender e foram obrigados a procurar um emprego fixo para se manterem.

João Paulo Gonçalves, 33 anos, diretor de uma plataforma que conecta negócios locais a potenciais clientes faz parte da pequena parcela de jovens que conseguiu realizar o sonho de ter o próprio negócio.

O empresário tornou-se proprietário da empresa onde conseguiu o seu primeiro emprego, como estagiário. A oportunidade vivenciada por João Paulo é diferente do que acontece com a maior parte dos jovens brasileiros. Ainda segundo a pesquisa da Fundação Estudar 53,5% dos entrevistados afirmaram que não trabalharam em lugares com oportunidades intraempreendedoras.

O conhecimento nas áreas de tecnologia e gestão de negócios foi essencial para que João Paulo, que graduou-se em Sistemas de Informação e cursou MBA em Gestão Empresarial, pudesse chegar ao cargo de CEO e comprar uma parte da empresa.

“Ao longo dos anos eu fui conhecendo cada departamento da organização, pois fui responsável por reestruturá-los, além de implementar diversos sistemas na Lista Mais”, conta. João Paulo passou pelos cargos de estagiário, analista de sistemas, gerente financeiro e, por fim, sócio e CEO do negócio, e foi responsável por levar a empresa para o mundo digital.

A oportunidade de empreender apareceu quando uma sócia da empresa decidiu vender sua parte no negócio, que naquela época estava em uma situação um pouco complicada. “Eu conhecia muito bem a empresa, sabia o que precisaríamos mudar para que ela alcançasse todo o seu potencial”, comenta o empresário. O então colaborador fez uma proposta audaciosa, de pagar R$ 100 mil inicialmente, e mais R$ 300 mil parcelados ao longo de anos.

A estratégia deu certo. Com as mudanças que João Paulo realizou, a empresa começou a ganhar fôlego e a apresentar uma rentabilidade alta, com taxa de crescimento anual de aproximadamente 20%. Com o advento da internet, em 2010 a empresa passou a operar também no mundo digital, oferecendo uma plataforma completa para a comunicação de empresas e clientes.

Atualmente a empresa conta com mais de 3 mil clientes e três unidades próprias em Presidente Prudente, Araçatuba e em Birigui (SP), faturou R$ 6,6 milhões em 2016 e movimentou R$ 7 milhões em 2017.